Quem sou eu

Minha foto
Sou graduada em nutrição pela UNISINOS e pós-graduada em nutrição esportiva pela UGF/RJ. Formada em Florais de Bach, pelo Instituto Dr. Edward Bach. Cursos de extensão em Nutrição Funcional pelo Centro Brasileiro de Nutrição Funcional. Ganhadora de cinco prêmios de qualidade empresarial e profissional Agência Focus, na categoria nutricionista. Nutricionista com mais de 13 anos de experiência clínica em atendimentos voltados para o emagrecimento e qualidade de vida. Coach formada em Life Coach, Coaching Executivo Humanizado, Seis Necessidades Básicas Humanas & Empresariais Aplicadas, Coaching Educacional, Oratória Avançada - método Vanessa Tobias Coaching - Florianópolis/SC. Criadora do método de Coaching Nutricional – Leve Mente.

sábado, 18 de setembro de 2010

HOJE ACORDEI GORDA

Não tem muita explicação. Quer dizer, tem. Pode ter sido aquela empada (juro, não é piada) que eu comi ontem à noite indo embora para casa. Lembrei que a geladeira estaria vazia e não tinha a menor disposição para passar no supermercado para comprar uma salada X ou uma sopa Y. Menor ainda era a vontade de pedir reforço e me afundar num japonês – afinal, eu também gosto de me enganar que não engorda, mesmo quando saio empanturrada de um.

O fato é que não acho que a culpa foi só da empada. No almoço, comi no Saj, o meu árabe–next-door, quebrando a resolução de começar a segunda com a dupla salada +grelhado no restaurante da firma. Mas voltando ao tabule. Achei que estava abafando pedindo ‘só’ um combinado com salada, kafta, homus e pão árabe. O problema é que cheguei faminta ao lugar e serviram pão e homus suficiente para alimentar três Ronaldos. E eu que para comer e coçar só preciso mesmo é sentar, mandei ver na mega porção. Ponto para mim que resisti bravamente à visão da cerveja gelada que suava fria na mesa ao lado.

Junte o pão árabe ao fato que eu tenho esquecido de tomar água. . E como vocês devem saber, falta de água faz o corpo reter líquido como uma esponja dentro da banheira. Principalmente nas últimas semanas eu tenho sentido muito mais sede porque tenho treinado pra valer. Então, a equação é simples: empada+kit jumbo árabe+falta de água e eu acordei sentindo a cintura meio redonda.

Exageros à parte – como toda boa sagitariana eu sou mestre na arte de superlativar qualquer coisa –, correr pesando um ou dois quilos a mais é uma droga. Para os homens pesa na barriga, para as mulheres sobra nos quadris e na bunda. Saca a imagem do elefantinho correndo, chacoalhando aquela massa descomunal na retaguarda? É assim que me sinto.

Eu estava levando a minha alimentação razoavelmente a serio, mas hoje de manhã percebi que minha geladeira voltou a mostrar a imagem da desolação: vazia e abandonada. A não ser por uns potes de mostarda dijon, geléia, um brie que já deve estar vencido e umas três Nortenhas. Além de água e gatorade.

Conclusão: Preciso dar um jeito na geladeira. Tomar mais água. E ficar com a bunda mais leve para correr.

http://revistawomenshealth.abril.com.br/blogs/se-eu-consigo-voce-consegue/2010/09/15/hoje-acordei-gorda/

Nenhum comentário:

Postar um comentário