Quem sou eu

Minha foto
Sou graduada em nutrição pela UNISINOS e pós-graduada em nutrição esportiva pela UGF/RJ. Formada em Florais de Bach, pelo Instituto Dr. Edward Bach. Cursos de extensão em Nutrição Funcional pelo Centro Brasileiro de Nutrição Funcional. Ganhadora de cinco prêmios de qualidade empresarial e profissional Agência Focus, na categoria nutricionista. Nutricionista com mais de 13 anos de experiência clínica em atendimentos voltados para o emagrecimento e qualidade de vida. Coach formada em Life Coach, Coaching Executivo Humanizado, Seis Necessidades Básicas Humanas & Empresariais Aplicadas, Coaching Educacional, Oratória Avançada - método Vanessa Tobias Coaching - Florianópolis/SC. Criadora do método de Coaching Nutricional – Leve Mente.

sexta-feira, 13 de maio de 2011

Disbiose Intestinal


Como vou ter uma aula sobre o assunto este final de semana, li um artigo hoje a tarde sobre o assunto. Segue algumas observações:

O trato gastrointestinal (TGI) é um dos maiores meios de ligação entre o mundo externo e o ambiente intestinal no homem. A alimentação promove enorme exposição, no momento da digestão e absorção de nutrientes, a antígenos alimentares, aos microorganismos viáveis e aos metabólicos de bactérias, que são apresentados ao sistema imune intestinal.

O intestino humano possui aproximadamente 100 trilhões de bactérias (a chamada microbiota intestinal), dentre as quais mais de 400 espécies diferentes vivem num delicado balanço. O desequilibrio dessa “flora microbiana” é chamado de Disbiose Intestinal.

Situações como alimentação inadequada, stress, envelhecimento, uso indiscriminado de alguns medicamentos, propiciam o quadro de disbiose intestinal. A presença de sinais e sintomas como alterações do ritmo intestinal, flatulência, eructações, acne, fadiga, falta de concentração e depressão sugerem o desequilíbrio da microbiota intestinal.

A alteração na digestibilidade dos alimentos e da permeabilidade intestinal provocada pela disbiose predispõe o organismo a uma série de problemas de saúde. Porque passam a chegar ao sangue, nutrientes mal digeridos e outras substâncias químicas, em proporções impróprias. Isso acarreta um aumento das alergias cutâneas e respiratórias, além de hipersensibilidades alimentares

A disbiose altera o pH sanguíneo, vaginal, da bexiga e de outros locais, predispondo o organismo a quadros de infecção urinária e candidíase vaginal recorrente, herpes labial, cutâneo e vaginal recorrentes, além de outras infecções bacterianas ou viróticas recorrentes.A alteração da flora bacteriana faz com que essas bactérias patológicas reajam com os ácidos biliares formando substâncias carcinogênicas e liberando substâncias tóxicas que estavam neutralizadas

Tratamento?
Fibras; Glutamina; Lactobacilos; Alimentação rica em frutas, verdura, legumes e cereais integrais - procure seu nutricionista!!

abraços a todos

Nenhum comentário:

Postar um comentário