Quem sou eu

Minha foto
Sou graduada em nutrição pela UNISINOS e pós-graduada em nutrição esportiva pela UGF/RJ. Formada em Florais de Bach, pelo Instituto Dr. Edward Bach. Cursos de extensão em Nutrição Funcional pelo Centro Brasileiro de Nutrição Funcional. Ganhadora de cinco prêmios de qualidade empresarial e profissional Agência Focus, na categoria nutricionista. Nutricionista com mais de 13 anos de experiência clínica em atendimentos voltados para o emagrecimento e qualidade de vida. Coach formada em Life Coach, Coaching Executivo Humanizado, Seis Necessidades Básicas Humanas & Empresariais Aplicadas, Coaching Educacional, Oratória Avançada - método Vanessa Tobias Coaching - Florianópolis/SC. Criadora do método de Coaching Nutricional – Leve Mente.

quinta-feira, 18 de agosto de 2011

Refrigerantes e sucos de caixinha



Olá pessoal, faz quem que não escrevo!
Vou postar para vocês parte de um post interessantíssimo do blog - http://comersemculpa.blog.uol.com.br/ - abraços a todos!


Nos últimos 20 anos, uma onda líquida inundou as gôndolas dos supermercados com repercussão sobre as despensas e geladeiras das residências em todo o mundo. Incorporamos à nossa dieta calorias extras, provenientes de sucos de frutas, bebidas de soja, chás e refrigerantes. São centenas de produtos líquidos com rótulos pouco elucidativos, escritos em letra miúda, com ingredientes difíceis de serem compreendidos até pelos profissionais da área de Nutrição.

Do ponto de vista de calorias, as bebidas incorporadas às refeições diárias passaram definitivamente a fazer parte da nossa alimentação. Em todas as refeições, desde o café da manhã, passando pelos lanches escolares, até o jantar, lá estão elas: as bebidas doces, disfarçadas pelo puro néctar das frutas, pelas qualidades da soja e até mesmo pelos micronutrientes dos refrigerantes, aumentando as calorias das refeições às custas de grandes quantidades de açúcares.

Se considerarmos que muitas pessoas consomem um copo de refrigerante ou suco, em todas as refeições ou lanches (cinco copos ao dia), elas terão, em média, 550 calorias adicionadas às suas refeições, o que representa o valor calórico de uma refeição a mais durante o dia.

Muitas mães se enganam ao supor que seus filhos comem de maneira mais saudável ao substituir os refrigerantes por sucos artificiais de frutas ou soja, pois esses dois últimos, muitas vezes, são mais calóricos do que os próprios refrigerantes, não preservam as propriedades nutricionais das frutas, e contém quantidades de sódio, corantes e conservantes muito semelhantes aos refrigerantes.

Expostas a essa carga de líquidos de sabor doce, pessoas de todas as idades passaram a mudar seus hábitos, incorporando calorias, açúcares e adoçantes, em volumes jamais pensados. Resultado: as silhuetas saltaram para graus variáveis de sobrepeso e obesidade. Nesse contexto, a excessiva ingestão de alimentos líquidos industrializados e de sabor doce, passou a figurar entre as principais causas de obesidade em todo o mundo, principalmente entre crianças e adolescentes, que passaram a se hidratar essencialmente por meio destes alimentos, abandonando, definitivamente a água.