Quem sou eu

Minha foto
Sou graduada em nutrição pela UNISINOS e pós-graduada em nutrição esportiva pela UGF/RJ. Formada em Florais de Bach, pelo Instituto Dr. Edward Bach. Cursos de extensão em Nutrição Funcional pelo Centro Brasileiro de Nutrição Funcional. Ganhadora de cinco prêmios de qualidade empresarial e profissional Agência Focus, na categoria nutricionista. Nutricionista com mais de 13 anos de experiência clínica em atendimentos voltados para o emagrecimento e qualidade de vida. Coach formada em Life Coach, Coaching Executivo Humanizado, Seis Necessidades Básicas Humanas & Empresariais Aplicadas, Coaching Educacional, Oratória Avançada - método Vanessa Tobias Coaching - Florianópolis/SC. Criadora do método de Coaching Nutricional – Leve Mente.

segunda-feira, 28 de junho de 2010

idéia levinha


Para fazer pizzas com atum, sardinha, legumes, peito de peru, ricota, folhas, serve também para fazer Wraps

O bom das sementes

Pequenas no tamanho, mas cheias de nutrientes. Assim podem ser definidas as sementes de linhaça, abóbora, girassol e gergelim. Fontes de fibras, vitaminas, sais minerais e proteínas, elas ganham espaço por sua ação antioxidante, reguladora do funcionamento intestinal, protetora contra doenças cardiovasculares e envelhecimento. Além disso, contêm magnésio, essencial na formação do esqueleto e no combate à osteoporose. Conheça a importância de algumas:

Semente de linhaça
: possui, além de carboidratos, proteínas, gorduras e fibras, 27 componentes anticancerígenos que agem na prevenção do câncer de próstata, de cólon e de pulmão. Outra grande característica é ser a mais rica fonte de ômega-3 (gordura boa) existente na natureza, evitando doenças cardiovasculares. "É uma semente muito benéfica. A linhaça tem cinco vezes mais fibras que a aveia, e contém 100 vezes mais lignina (fibras insolúveis dietéticas) que os melhores grãos integrais.

Semente de abóbora: ela é repleta de potássio, mineral capaz de auxiliar no controle da pressão arterial. Por dia, homens e mulheres precisam de 2000 mg do mineral, e a semente possui 919 mg. Além disso, é rica em fibra, que funciona bem contra a prisão de ventre, e vitamina A, boa para os olhos por prevenir doenças como a degeneração macular. "Outro diferencial da semente de abóbora é a grande quantidade de vitamina E, nutriente que combate o envelhecimento".

Semente de girassol: tem fibra, vitamina A, e é rica em gordura monoinsaturada, nutriente considerado essencial por afastar males cardiovasculares, grande medo da atualidade. O mineral da semente de girassol, o magnésio, também é uma procura da sociedade moderna, pois ajuda na formação do esqueleto e combate a osteoporose. Homens e mulheres precisam de 420 mg de magnésio por dia, e 100 g dessa semente possuem 354 mg.

Semente de gergelim: é rica em cálcio, fósforo, ferro e vitaminas do complexo B, além de altamente eficaz na lubrificação do intestino, graças à ação emoliente e suavemente laxante. Evita prisão de ventre, hemorroidas e câncer de colón.

quarta-feira, 16 de junho de 2010

Frio? Que tal um Chá?

Efeitos do bem
Quente ou fria, a bebida pode trazer mais do que um momento de prazer. Há os chás que estimulam o apetite, ajudam a acalmar e melhoram a função gastrointestinal. Confira a função de cada um.

Os chás não podem ser usados de forma aleatória, sem indicação de um profissional, pois podem causar danos à saúde
Estímulo do apetite: alecrim, agrião, camomila, melissa, dente-de-leão, sálvia, manjerona, alfavaca.
Calmantes ou sedativos: capim-cidreira, maracujá, valeriana, hortelã, folha de laranja, melissa, alface e angélica.
Melhora nos problemas estomacais e intestinais: erva-doce, hortelã, camomila, poejo, angélica, sálvia e funcho.
Digestivos: hortelã, camomila, boldo, quássia, raiz de genciana, sálvia, carqueja, anis estrelado.
Cicatrizantes: eucalipto, cavalinha, maracujá, couve, babosa, bálsamo-do-peru, cardo santo.
Anti-inflamatórios: agrião, limão, hortelã, alecrim, cavalinha, dente-de-leão, urtiga, folha de abacate.
Antissépticos: arnica, bardana, limão e malva branca.
Antidiarreicos: casca ou polpa de maçã, broto ou polpa de goiaba e casca de romã.
Estímulo do intestino: semente de linhaça, ameixa preta, cáscara sagrada, zimbro, hortelã, erva-doce e capim-cidreira.
Combate aos radicais livres: chá-mate.

quarta-feira, 9 de junho de 2010

Alimentação e Libido


Chegou aquele período do ano em que os corações apaixonados batem mais forte.
O Dia dos Namorados


Uma má alimentação pode gerar uma produção baixa de alguns neurotransmissores relacionados ao bem-estar e ao prazer, e as alterações destes neurotransmissores no organismo podem prejudicar o desempenho sexual e a fertilidade.

Para sentir desejo sexual, é necessário ter boas concentrações do neurotransmissor serotonina. O estresse, o uso de anticoncepcionais e de alguns antidepressivos podem diminuir sua produção. O aminoácido triptofano é o precursor da serotonina. Esse aminoácido é encontrado em diversos alimentos, como banana, quinua, arroz integral, soja, feijão, lentilha, ervilha, castanhas, nozes, morango, laranja, tâmara, chocolate amargo e ovos.

A conversão do triptofano em serotonina depende de alguns nutrientes:

•Vitamina B6, encontrada no levedo de cerveja, no gérmen de trigo, em cereais integrais, leguminosas, batata, banana e aveia;
•Vitamina B12, presente nos peixes, aves, carnes vermelhas, ovos, leite e derivados;
•Ácido fólico, que está em vegetais de folhas verdes escuras, também no levedo de cerveja, além de brócolis, suco de laranja, repolho, couve-flor, gérmen de trigo, cereais e pães integrais;
•Magnésio, também encontrado nos vegetais folhosos escuros, banana, cereais integrais, nozes, castanhas, peixes. Incluir os alimentos fontes desses nutrientes é fundamental para aprodução de serotonina.

Outro neurotransmissor relacionado com a libido é a noradrenalina. É produzida a partir de dopamina – neurotransmissor relacionado ao prazer. A falta de ambos está relacionada à diminuição do desejo sexual. O aminoácido tirosina é o responsável pela produção de dopamina, e para estimulá-la devemos consumir alimentos fontes da tirosina: leguminosas, nozes e castanhas, tofu, cereais integrais, leite e iogurte desnatados – e ainda, incluir a ingestão moderada de café.

O zinco promove a modulação dos níveis do hormônio testosterona e da produção de sêmen. Sua deficiência leva à falha na ovulação e diminuição do desejo sexual, em mulheres. Nos homens, pode causar impotência sexual.

As principais fontes alimentares de zinco são feijões, lentilha, nozes, castanhas, semente de abóbora, cereais integrais e chocolate amargo.

A vitamina E, encontrada principalmente no gérmen de trigo e nos óleos vegetais, também participa da produção de hormônios sexuais, estando relacionada ao aumento da libido e do apetite sexual.

Alguns alimentos devem ser evitados, pois exercem ação contrária no desejo sexual. Frituras, alimentos gordurosos, doces e carnes, devido ao alto teor de gordura, dificultam a digestão e impedem a circulação adequada de sangue. Bebidas alcoólicas em excesso também são prejudiciais – podem causar impotência sexual.

Por meio de uma alimentação adequada, é possível consumir todos os nutrientes importantes não só para um bom desempenho sexual, mas para uma vida saudável em todos os aspectos, o que influenciará positivamente para a boa saúde da sua libido.

fonte: Blog Mundo Verde