Quem sou eu

Minha foto
Sou graduada em nutrição pela UNISINOS e pós-graduada em nutrição esportiva pela UGF/RJ. Formada em Florais de Bach, pelo Instituto Dr. Edward Bach. Cursos de extensão em Nutrição Funcional pelo Centro Brasileiro de Nutrição Funcional. Ganhadora de cinco prêmios de qualidade empresarial e profissional Agência Focus, na categoria nutricionista. Nutricionista com mais de 13 anos de experiência clínica em atendimentos voltados para o emagrecimento e qualidade de vida. Coach formada em Life Coach, Coaching Executivo Humanizado, Seis Necessidades Básicas Humanas & Empresariais Aplicadas, Coaching Educacional, Oratória Avançada - método Vanessa Tobias Coaching - Florianópolis/SC. Criadora do método de Coaching Nutricional – Leve Mente.

sábado, 28 de novembro de 2009

Como a relação distorcida com a alimentação interfere na balança

O prazer do equilíbrio é a chave para uma alimentação (e uma vida) mais saudável.

Os brasileiros nunca foram tão gordos e nunca fizeram tantas dietas para emagrecer. Atualmente, 75 milhões de pessoas estão acima do peso ideal e pelo menos 10 milhões delas vivem a contar calorias. O que será que aconteceu com o simples saborear de uma refeição, gostosa e sem culpa?

Das 10 doenças que mais matam no mundo, cinco estão diretamente associadas à má alimentação: sobrepeso, diabetes, infarto, AVC e câncer

Uma das explicações para essa epidemia de obesidade, que atinge 1 bilhão de pessoas ao redor do mundo, está na adoção de um estilo de vida sem paralelo. O pastel, o cheeseburger, o refrigerante, que eram exceção de fim de semana, viraram alimentos do dia a dia. Para completar, a população se tornou mais sedentária graças aos avanços tecnológicos.
Uma pesquisa da psicanalista Rejane Sbrissa, de São Paulo, com 3 mil brasileiros com sobrepeso revelou que grande parte sofre de fome emocional: 78,6% comem para se distrair, 71,3% para se acalmar e 62% para elevar o astral. A questão é que comida só mata a fome, analisa Rejane.

Essa relação distorcida com a alimentação impulsiona um mercado de dietas que prometem afinar a silhueta da noite para o dia. O problema é que regimes muito restritivos, ao excluírem grupos alimentares inteiros, só funcionam temporariamente

– Uma alimentação correta não é só para emagrecer, mas para ter o máximo de rendimento físico e mental – diz a nutricionista Márcia Daskal, de São Paulo.

Texto Retirado do Caderno Vida -
nadia.detoni@pioneiro.com

segunda-feira, 23 de novembro de 2009

PERDA DE PESO - DICAS

Neste último domingo o Fantástico apresentou uma matéria com dicas de emagrecimento..seguem algumas abaixo. A matéria completa você encontra do site do programa. Abraços a todos

Dica 1: Nunca pule uma refeição
Ao contrário do que se pensa, pular refeições engorda! E você vai saber por quê.

Michael é jornalista e aceitou participar de uma experiência para mostrar o que acontece no cérebro quando pulamos uma refeição.

No primeiro dia, ele tomou um bom café da manhã e depois fez um exame de ressonância magnética funcional. Dentro do aparelho, mostraram a Michael imagens de legumes e saladas e de comidas bem calóricas, como doces e batatas fritas. Como Michael estava satisfeito, o cérebro dele não deu a menor bola pro que viu.

Na manhã seguinte, o jornalista fez o mesmo exame, só que em jejum. Na hora da salada, uma área do cérebro dele esboçou uma leve reação, mas quando viu doces cheios de açúcar, aqueles que destroem qualquer dieta, a mesma região do cérebro foi à loucura.

Tudo isso é culpa de um hormônio: a grelina. Quando pulamos uma refeição e nosso estomâgo fica vazio, a grelina manda para o cérebro mensagens urgentes do tipo: ’emergência, estamos a zero! Consiga toda a comida que puder‘!

Nosso cérebro então, muito obediente, manda a gente atacar tentações bem calóricas para recompensar nosso "pobre" estômago vazio. Pronto, a dieta foi por água abaixo

Dica 3: Conte as calorias
Para tudo o que você gosta de comer ou beber, existe uma versão light. Prefira um cafezinho, que tem só 10 calorias em vez daquele cappuccino, que tem 100. Uma salada com frango grelhado tem 250 calorias. Uma com mussarela de búfala, torradinhas e molho cremoso, sobe pra 450 calorias.

Quer comer pizza? Peça uma fininha, de queijo com tomate e já serão 850 calorias. Agora, se você for chutar o balde com uma pizza de calabresa, serão mais de 1400 calorias. Sem falar na culpa!

Mas o que dizer daqueles gordinhos que estão sempre comendo coisas saudáveis e mesmo assim não emagrecem? Pois é, alguns gordinhos só comem coisas saudáveis e mesmo assim não emagrecem de jeito nenhum.

Debbie, por exemplo, nunca come frituras, massas ou doces e, mesmo assim, está muito acima do peso. Para ela, só tem uma explicação: o metabolismo dela é lento.

Será? Médicos avaliaram o índice metabólico de Debbie, ou seja, quantas calorias o organismo dela queima para se manter vivo. Quarenta minutos depois de fazer um teste permanecendo deitada, veio a surpresa. O metabolismo de Debbie é absolutamente normal. Então por que ela não emagrece? Cientistas decidiram investigar o caso da atriz.

Durante cinco dias, Debbie se dispôs a fazer um diário de tudo o que come e vai ter que tomar todo os dias um líquido que permite medir quantas calorias Debbie comeu e quantas queimou. Sai tudo no xixi.

A atriz prometeu contar tudo o que comia, tim-tim por tim-tim. Com uma câmera de video, Debbie relatou comer pouco mais de mil calorias por dia. Só que os exames de urina deram um resultado bem diferente: três mil calorias diárias! Debbie simplesmente esqueceu de contar dois terços do que comeu.

E isso não é coisa de gordinho, não! Estudos mostram que todo mundo esquece metade do que de fato come.

Então, vamos à próxima dica:

Dica 4: Pare de culpar seu metabolismo e preste muita atenção no que você está comendo!
Uma salada de frutas grande, por exemplo, é supersaudável, mas tem caloria à beça.

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

NUTRIÇÃO E DEPRESSÃO

A depressão é hoje uma doenças que mais aumenta em todo mundo.
Na visão nutricional funcional, o aumento na produção de serotonina é uma das armas mais eficazes contra este mal. Neste aspecto, devemos estimular o consumo de alimentos fontes ou mesmo suplementar triptofano, com seus cofatores. Além de estimular a produção, podemos também reduzir a concorrência de nutrientes que dificultam a sua formação, aumentando o consumo de carboidratos complexos integrais, como um arroz integral, macarrao integral, quinua em flocos ou grão, aveia em flocos, entre outros. Outro aspecto fundamental é aumentar a atividade dos receptores para serotonina nos neurônios, que fazemos com cromo, especialmente encontrado em grãos integrais, levedo de cerveja, cogumelo, aspargo, ameixa e nozes. Outro ponto fundamental é a participação dos ácidos graxos ômega-3 pois a presença destes nas membranas lipídicas neuronias melhora a transmissão nervosa e a transmissão dos impulsos elétricos pela eficiente troca de íons. As melhores fontes de ômega-3 são linhaça, canola, espinafre, hortelã, peixes e crustáceos. Reduzir o máximo possível consumo de açúcar, cafeína e gorduras trans (leite integral, carnes, biscoitos, margarinas, pipoca de microondas, entre outros).

Este texto foi postado pelo colega nutricionista Henrique Freire Soares - em seu blog

sexta-feira, 6 de novembro de 2009

Verão Chegando


NUTRIÇÃO X CELULITE!
Ataque a celulite pelas laterais com alimentos ricos em vitaminas e minerais, que facilitam a digestão, estimulam a circulação ou simplesmente dão uma aliviada no stress. Use os legumes ricos em potássio, as verduras que esbanjam magnésio, as sementes com selênio e as frutas diuréticas . Esses alimentos compõem uma dieta antioxidante, que ajuda a eliminar toxinas e a rejuvenescer a pele.
Cuidado com o sal que contém sódio, que retém água no organismo e incha as células. Pelo mesmo motivo, evite molho inglês e shoyu (molho de soja) normal.
Ao lado do prato, nada de álcool. Você precisa de água pura, pelo menos 2 litros por dia, fazendo uma faxina nas células e eliminando as toxinas.
Evite ao máximo alimentos industrializados e enlatados, prefira os orgânicos!
Carne vermelha no máximo 2 x na semana!
Inclua substâncias desintoxicantes como a clorofila
Um intestino saudável elimina melhor as toxinas do organismo!
Em Novembro mais uma turma do Curso de Nutrição e Estética - Não Perca