Quem sou eu

Minha foto
Sou graduada em nutrição pela UNISINOS e pós-graduada em nutrição esportiva pela UGF/RJ. Formada em Florais de Bach, pelo Instituto Dr. Edward Bach. Cursos de extensão em Nutrição Funcional pelo Centro Brasileiro de Nutrição Funcional. Ganhadora de cinco prêmios de qualidade empresarial e profissional Agência Focus, na categoria nutricionista. Nutricionista com mais de 13 anos de experiência clínica em atendimentos voltados para o emagrecimento e qualidade de vida. Coach formada em Life Coach, Coaching Executivo Humanizado, Seis Necessidades Básicas Humanas & Empresariais Aplicadas, Coaching Educacional, Oratória Avançada - método Vanessa Tobias Coaching - Florianópolis/SC. Criadora do método de Coaching Nutricional – Leve Mente.

sábado, 24 de dezembro de 2011

2011

O meu ano de 2011 foi um ano de muito trabalho e reafirmação profissional!
Ano de resgatar meu entusiasmo pela ciência da nutrição e me apaixonar mais ainda pela maneira como ela muda a vida das pessoas.

É muito legal ver no paciente uma melhora da autoestima através da perda de peso, melhor aparência da pele quando otimizamos a absorção dos nutrientes, melhora da memória acrescentando nutrientes deficientes, melhora de dores articulares, lombares, musculares melhorando a disbiose intestinal...

E quando o paciente atinge seu objetivo, seja ele qual for: diminuir uma dobra abdominal de 23 para 16! Mudar a circunferência abdominal de 100 cm para 90 cm, aumentar 3 quilos de massa magra, perder 10 kg!!! UAUHAUAUAH dá vontade de sair pulando junto, srsrrsrs!

E como é gratificante receber agradecimentos como esses:

“Acho você uma profissional muito competente, respeita os pacientes e procura ajudar da melhor forma possível, sabe o que esta fazendo e é muito responsável”.

“Se não fosse pelas orientações e pelo controle que acontece na consulta, não teria conseguido manter a dieta”.

“Eu te conhecia e conhecia teu comprometimento desde a universidade”

“O diferencial é que você foi sincera e disse que iria pesquisar sobre o assunto, pois era novo para você também, e depois apresentou um plano alimentar compatível”.

“No mais, você sempre foi muito gentil e dedicada, só tenho agradecer”.

“Daniiiiii, tô firme essa semana, tô botando fé, risossss, beijos e bom domingoooo!!!”

“Nossa nutri está sempre ANTENADÍSSIMAAAA!!”

“....to feliz pacas! me senti mto bem na prova! brigadao pela força,dani! bjs"

“Fiz um almoço sarado pra curar de vez a gripe! minha nutricionista Dani Melere Nutri vai se orgulhar de mim”.

“Parabéns Dani Melere! Sucesso sempre, afinal es uma Nutricionista de Mao Cheia. Obrigada por fazer parte desta equipe de vencedores”.

“Hoje segunda reunião com Grupo de Reeducação Alimentar...orientações atualizadas é tudo de bom...tomara que seja mais uma semana de sucesso.”


Não é maravilhoso??

Agradeço a todos que participam de minha vida pessoal e profissional, desejo boas festas e um ótimo 2012!!

Logo venho contar as novidades para o ano que vem!
bjokas

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Estou com tannnntaaasss ideias novas, que às vezes é preciso parar e organizar a mente sempre inquieta! Amo minha profissão, modificar antigos hábitos muda a vida de uma pessoa, tornando sua pele melhor, elevando sua autoestima, modificando sua composição corporal, incrementando sua atividade física, melhorando seus níveis sanguíneos, melhorando seu processo digestivo, entre tantos outros.

COMO ISSO É GRATIFICANTE!

Ainda mais quando sinto que o paciente literalmente "PEGA JUNTO", ou seja, entende que o processo de reeducação leva tempo, exige persistência e paciência! Impossível mudar ou melhorar hábitos de uma vida em uma semana!
Sempre recomendo: não desmarque suas consultas! Se não conseguiu fazer, este é o momento em que o nutricionista é mais fundamental!
Participe do processo, entenda que melhorar sua qualidade de vida não envolve só calorias ou números menores na balança!

Não conte calorias, pontos...
Não se pese todo dia...
Se a dieta da revista funcionasse...
Se aquele suplemento novo, que saiu na revista ou que a tal artista usou, funcionasse...
Não faça restrições severas
Não culpe o marido, o filho, a tireoide, a genética..
Não queira perder peso em 1 mês...

Ok? Alimentação tbm é prazer!

Bem, mas o título da postagem era NOVIDADES 2012... srsrsr

- Novas modalidades de atendimento
- Verdadeira Reeducação Alimentar
- Grupos cada vez mais fortes
- E muito mais!

bjokas

terça-feira, 1 de novembro de 2011

Comportamento Alimentar

Adorei esse texto.....tem haver com o que eu acredito depois de anos trabalhando com pessoas com dificuldades em relação ao peso.

COMPORTAMENTO ALIMENTAR - Relação médico X paciente na dieta Qua, 26 de Outubro de 2011 18:32
Lia Ades Gabbay*/Especial para BR Press

(BR Press) - Por trabalhar há tanto tempo em parceria com nutricionistas e médicos endocrinologistas no tratamento de pessoas com excesso de peso, acabo por ter uma visão privilegiada da relação destes profissionais com os pacientes. Há vários fatores nesta relação que podem favorecer ou prejudicar o engajamento do paciente e seu êxito na perda de peso.

Uma das coisas mais importantes e prejudiciais que noto são os preconceitos implícitos em algumas abordagens e recomendações. Aproveito para dizer que nós, profissionais, por maior que seja nossa boa vontade e competência, muitas vezes não nos atentamos suficientemente para os efeitos do que dizemos ao paciente, e para a forma com que o fazemos. E isso faz toda a diferença!

Por exemplo, o quanto atribuímos a possibilidade de mudança de comportamento alimentar e de estilo de vida exclusivamente a uma escolha consciente do paciente? O quanto julgamos que é fácil emagrecer, basta seguir nossas recomendações? "O paciente não emagrece porque não quer segui-las", acreditamos. Muitas vezes até nos irritamos com ele, pensamos: "Por que ele vem aqui, se não leva nada a sério?".

"Força de vontade"

Estudos mostram que nutricionistas e outros profissionais que tratam de pacientes obesos julgam a "falta de força de vontade" como o fator mais importante no fracasso dos planos dietéticos para perder peso. Esta concepção não apenas é contrária à compreensão atual da complexa neurobiologia do comportamento ingestivo, como também serve para estigmatizar e frustrar os pacientes.

Muitos não retornam ao consultório porque acham que vão "levar uma bronca" (nas palavras deles), ou porque sentem vergonha por terem fracassado.Antes de mais nada, acredito que devemos investir numa parceria com o paciente, propor um trabalho conjunto.

De igual para igual

É importante que saiamos do papel de donos do saber, daqueles que vão julgar seu comportamento. Estamos ali para construir um saber e um plano de ação que pertence à relação, aos dois – profissional e paciente. Só assim incentivamos a autonomia, primordial para o sucesso da reeducação de hábitos alimentares e de estilo de vida.

Depois, seria melhor basearmos nossas estratégias de aconselhamento na explicação das motivações do comportamento alimentar, na compreensão dos processos que conferem vulnerabilidade ao excesso alimentar, e na proposição de estratégias de enfrentamento.

Fazendo isso, não invocamos, sem perceber, falhas de caráter (como a famosa falta de "força de vontade"), e não reforçamos o estigma.

Enfim, há muito o que aprender observando a relação profissional-paciente, a comunicação existente entre eles. O sucesso, muitas vezes, depende mais disso e menos dos conteúdos das orientações, por incrível que pareça.

Ainda vou escrever um livro sobre isso!

(*) Lia Ades Gabbay é psicóloga, com especialização em Psicologia do Comportamento Alimentar, Transtornos Alimentares e Obesidade.

sábado, 15 de outubro de 2011

Você é o que você come

Olá gente, ando sem tempo p escrever, mas hoje como o tempo está nublado aqui em Floripa, aproveitei a folga para colocar os trabalhos em dia.

Esta semana no grupo de Reeducação Alimentar que faço as quartas-feiras na Clinica do Ser Integral - em Ingleses o assunto foi dietas da moda. Uma das participantes trouxe para o encontro diversos livros de dieta, um deles da famosa nutricionista Gillian Mackeith - aquela que faz o programa: VOCÊ É O QUE VOCÊ COME.

Na página 88 ela descreve cinco áreas problemáticas que ela encontra em 95% dos seus pacientes, as quais ela chama de "trapaceiros"

No meu trabalho diariamente encontro esses mesmos "trapaceiros", muitas vezes a pessoa está tão intoxicada que nem se dá conta deles:

São eles:
dificuldade de perder e manter o peso
cansaço o tempo todo
distúrbios digestivos (azia, flatulência, inchaços, refluxo, constipação...)
TPM e problemas hormonais
Estresse

Se você apresenta um ou mais sintomas dos descritos acima, procure um profissional nutricionista e descubra as maravilhas que a alimentação correta pode fazer por você.

abraços a todos

quarta-feira, 7 de setembro de 2011

Ovários Policisticos e Sobrepeso

"A Síndrome dos Ovários Policísticos (SOP) pode ocorrer sem que o exame de ultra-sonografia revele cistos nos ovários e, muitas vezes, temos que excluir várias outras doenças que tem em comum a produção excessiva de hormônios masculinos pela mulher. Além disso, 20% das mulheres normais podem apresentar ovários policísticos sem nenhuma manifestação clínica ou alteração hormonal, não sendo caracterizadas como portadoras da Síndrome dos Ovários Policísticos.

Geralmente tudo começa por volta dos 10 aos 12 anos, quando os ovários da menina, até então inativos, passam a produzir hormônios em grande quantidade,desencadeando a puberdade e com ela a menarca, nome dado a primeira menstruação. Nessa época, já se nota uma maior tendência ao ganho de peso e no rosto, os efeitos dos hormônios sob a forma de acne e seborréia, características que dão à pele da adolescente aquela aparência oleosa. Tudo isso pode ser normal e desaparecer lentamente, assim que a turbulência hormonal dá lugar às secreções hormonais cíclicas e regulares da mulher adulta.

De repente, essa regularidade não ocorre e o que é pior, as menstruações passam a ocorrer de maneira mais espaçada e irregular, a acne se agrava e aparecem pêlos mais escuros, principalmente em área ditas androgênicas - rosto, raiz das coxas, linha média do abdome, em volta da aréola mamária - e as proporções corporais não param de aumentar. Tudo parece comprometer ainda mais a grande instabilidade da adolescente: sua insegurança, sua baixa auto-estima, sua rebeldia e sua tão distante imagem corporal ideal.

A mais importante dificuldade ginecológica das mulheres com SOP é a dificuldade ovulatória e a infertilidade. Além disso, várias complicações podem ocorrer com essas mulheres quando elas conseguem engravidar, dentre elas, o maior índice de abortamentos, o diabetes gestacional, a hipertensão arterial da gestação e a pré-eclâmpsia. Para todas elas, o tratamento adequado reduz a incidência dessas complicações e quase as igualam às mulheres.

A alta prevalência de obesidade nas mulheres com SOP deixa claro que essa patologia é uma das causas mais comuns do ganho de peso na população feminina. Por se tratar de doença crônica e de evolução progressiva, somente o diagnóstico e tratamento precoces podem prevenir as conhecidas complicações metabólicas e hormonais da síndrome como diabetes, hipertensão arterial, infertilidade, alterações estéticas como o excesso de pelos e as doenças do fígado causadas pela obesidade"

TEXTO RETIRADO DO BLOG: COMER SEM CULPA
http://comersemculpa.blog.uol.com.br/

quinta-feira, 18 de agosto de 2011

Refrigerantes e sucos de caixinha



Olá pessoal, faz quem que não escrevo!
Vou postar para vocês parte de um post interessantíssimo do blog - http://comersemculpa.blog.uol.com.br/ - abraços a todos!


Nos últimos 20 anos, uma onda líquida inundou as gôndolas dos supermercados com repercussão sobre as despensas e geladeiras das residências em todo o mundo. Incorporamos à nossa dieta calorias extras, provenientes de sucos de frutas, bebidas de soja, chás e refrigerantes. São centenas de produtos líquidos com rótulos pouco elucidativos, escritos em letra miúda, com ingredientes difíceis de serem compreendidos até pelos profissionais da área de Nutrição.

Do ponto de vista de calorias, as bebidas incorporadas às refeições diárias passaram definitivamente a fazer parte da nossa alimentação. Em todas as refeições, desde o café da manhã, passando pelos lanches escolares, até o jantar, lá estão elas: as bebidas doces, disfarçadas pelo puro néctar das frutas, pelas qualidades da soja e até mesmo pelos micronutrientes dos refrigerantes, aumentando as calorias das refeições às custas de grandes quantidades de açúcares.

Se considerarmos que muitas pessoas consomem um copo de refrigerante ou suco, em todas as refeições ou lanches (cinco copos ao dia), elas terão, em média, 550 calorias adicionadas às suas refeições, o que representa o valor calórico de uma refeição a mais durante o dia.

Muitas mães se enganam ao supor que seus filhos comem de maneira mais saudável ao substituir os refrigerantes por sucos artificiais de frutas ou soja, pois esses dois últimos, muitas vezes, são mais calóricos do que os próprios refrigerantes, não preservam as propriedades nutricionais das frutas, e contém quantidades de sódio, corantes e conservantes muito semelhantes aos refrigerantes.

Expostas a essa carga de líquidos de sabor doce, pessoas de todas as idades passaram a mudar seus hábitos, incorporando calorias, açúcares e adoçantes, em volumes jamais pensados. Resultado: as silhuetas saltaram para graus variáveis de sobrepeso e obesidade. Nesse contexto, a excessiva ingestão de alimentos líquidos industrializados e de sabor doce, passou a figurar entre as principais causas de obesidade em todo o mundo, principalmente entre crianças e adolescentes, que passaram a se hidratar essencialmente por meio destes alimentos, abandonando, definitivamente a água.



quinta-feira, 28 de julho de 2011

Empanados - pesquisa IDEC

Não dá para negar que tirar um alimento da caixinha e só precisar esquentá-lo antes de comer, na maioria dos casos, é muito mais prático que prepará-lo em casa. O problema é que essa facilidade tem um preço alto para a saúde, pois esses produtos semiprontos têm altas doses de gorduras saturadas e, principalmente, de sódio. É o que constata a série de pesquisas realizadas pelo Idec, que já avaliou pizzas e lasanhas, e, agora, empanados. No caso destes últimos, a situação é semelhante à dos anteriores: o alimento é salgado, gorduroso e também bastante calórico. Se forem consumidos com frequência ou em excesso, podem provocar ganho de peso e colaborar para o desenvolvimento de doenças do coração, hipertensão e colesterol.

Ao analisar os resultados das três pesquisas, o alerta aos consumidores não pode ser outro senão evitar ao máximo o consumo de alimentos semiprontos. "Quanto mais ultraprocessado é o produto, maior a possibilidade de ele conter quantidades muito altas de nutrientes não saudáveis", ressalta Silvia Vignola, sanitarista e assessora do Idec responsável pela pesquisa

Não bastasse a gordura saturada e o sódio, a quantidade de calorias presente nos alimentos pesquisados passa bem longe da recomendada pela Anvisa. A Resolução no 359/03 estabelece que alimentos do grupo de carnes e ovos, do qual os empanados fazem parte, devem apresentar em média 125 kcal/porção. Em outro trecho, a norma indica que a porção de empanados deve ter 130 g.

Saiba mais em:
http://www.idec.org.br/rev_idec_texto_impressa.asp?pagina=3&ordem=3&id=1386

Abraços

quarta-feira, 20 de julho de 2011

Trabalho e diversão



Final de semana agitado com eventos em dois lugares que trabalho. No sábado Arraiá da Ideal Fisioterapia.

E no domingo Corrida e Caminhada Norte da Ilha da i9 Academia.

domingo, 10 de julho de 2011

Grupo de Reeducação Alimentar

Na última quarta feira - realizei o primeiro encontro do Grupo de Reeducação Alimentar da Clínica do Ser Integral em Ingleses. O tema principal nesse dia foi as 5 regras de qualquer dieta!!

Já desenvolvi entre 2007 e 2009 esse trabalho no RS e acredito muito no trabalho em grupo - principalmente para perda de peso.

Orientando o processo de emagrecimento de forma gradual e segura, indicando novos hábitos alimentares e de comportamento que possam ser incorporados de maneira definitiva, você vai levar uma a dieta de uma maneira mais leve.

O objetivo é não simplesmente passar um cardápio e sim ajudá-lo a executar os novos hábitos, através da troca de experiências, sentimentos, frustrações.

Através de encontros semanais você pode aprender novas formas de agir frente à comida, frente a vontade de comer ou mesmo a fome.

Quem desejar mais informações entre em contato pelo tel 48 3364 2033

Abraços e ótima semana

segunda-feira, 27 de junho de 2011

Cappuccino especial

Friooooo....bate aquela fome!!

Encontrei essa receita no site da revista Boa Forma, vejam que legal..bj

Ingredientes
1 xíc. (chá) de leite de soja light (ou leite desnatado)
2 col. (chá) de café instantâneo
1 medida (2 col. de sopa) de whey protein sabor chocolate
1 col. (sopa) de semente de linhaça (opcional)
1 envelope de adoçante à base de estévia ou sucralose

Modo de fazer
Aqueça o leite e bata com os outros ingredientes. Se preferir, faça com o leite gelado.
Rendimento: 1 copo grande (300 ml)

Calorias: 190 (com a linhaça) e 122 (sem a linhaça)

segunda-feira, 20 de junho de 2011

As mulheres francesas não engordam

"A acreditar no bom senso de best-sellers como As Mulheres Francesas Não Engordam, de Mireille Guiliano, é fácil de ver que a melhor maneira de ser magro e ainda assim ter prazer durante as refeições é adaptar uma maneira mais tradicional e mais inteligente de alimentar-se.
Porções moderadas, alimentos frescos e integrais, relaxar com a família e amigos à mesa... É o que as pessoas fazem não apenas em França, mas por todo o Mediterrâneo, na América Latina e na Ásia. Nesses lugares, as taxas de obesidade sempre foram baixas (pelo menos até as cadeias de fast-food e o estilo de vida sedentário se espalharem pelo Mundo, fazendo que a maior parte da população engordasse).
O exercício nos ginásios costumava ser um passeio de bicicleta até à escola ou trabalho, e «fazer uma dieta de baixas calorias» só acontecia quando uma mãe tornava um naco de carne maior ao recheá-lo com repolho ou cenouras. Isso faz-nos lembrar que é possível comer o que se gosta sem se sentir culpado ou esfomeado e sem que seja necessário seguir uma dieta de fome.

Transforme o almoço na sua refeição principal. Embora isso seja feito por toda a Europa, uma boa explicação de «porque se deve comer a maior refeição a meio do dia» vem do Ayurveda, guia indiano para o bem-estar que existe há 5000 anos.

De acordo com o Ayurveda, devemos comer mais ao almoço porque o nosso “fogo” digestivo, chamado de agni, está mais forte entre as dez da manhã e as duas da tarde, e, assim, fazemos a digestão com mais eficiência, explica Jennifer Workman, especialista no Ayurveda, do Colorado, que também é nutricionista e autora de Stop Your Cravings (Acabe com os Seus Desejos).

Na minha prática, já vi pessoas perderem de dois a cinco quilos apenas por fazerem isso. "

texto na integra -
http://www.seleccoes.pt/article/10281

domingo, 5 de junho de 2011

Inverno = sopa!

Se está frio em Floripa, imagino na serra Gaúcha!!
E com o frio também vem aquelaaa fominhaaa.
Segue uma receitinha super light!
Use essa sopa antes do jantar ou como ceia, evitando consumo de alimentos muito calóricos!

SOPA DE FOLHAS
Ingredientes

• 2 col. (sopa) de cebola picada
• 1 alho picado
• 4 copos (800 ml) de água
• Sal, noz-moscada ralada, orégano, páprica a gosto
• 5 folhas de escarola rasgadas
• 3 folhas de couve-manteiga rasgadas
• 2 folhas de acelga rasgadas

Modo de preparo

Em uma panela antiaderente, refogue a cebola e o alho com um pouquinho de água (não use óleo). Acrescente o restante da água e os temperos e deixe ferver por 5 minutos. Junte a escarola, a couve e a acelga. Cozinhe por mais 3 minutos.

*Você pode variar a combinação das folhas: 5 folhas de escarola, 3 de couve e 2 de repolho; ou 3 folhas de acelga, 3 de repolho e 3 de couve.

fonte -
http://boaforma.abril.com.br/receitas-light/sopas/sopa-folhas-verdes-487308.shtml?

domingo, 29 de maio de 2011

MUDE SEUS HÁBITOS E NÃO DESISTA!

Fiz um resumo de matéria que saiu no CLICKRBS - quem quiser ler mais, acesse: http://wp.clicrbs.com.br/vidasaudavel/2011/05/28/habitos/?topo=87%2C1%2C1%2C%2C%2C87

Muito legal - veja:

Pensando em mudar para melhor?
Confira dicas de Sâmia Simurro, especialista em estresse e saúde mental, para começar a mudar para bons hábitos e não desistir.

Queira a mudança
Cada pessoa tem um esquema pré-estabelecido de crenças e hábitos e reage de acordo com a percepção e a interpretação daquilo. Por isso, é natural pensar que não conseguirá mudar ou que não precisa mudar.

Parta para a ação somente quando tiver certeza do que pensa e deseja. Se você precisa sempre de um marco para começar a dieta ou a academia (segunda-feira, semana que vem etc), pode ser que ainda não esteja pronto para mudar de verdade.

Pense em você e nos outros
Maus hábitos são prejudiciais para você e para os outros. Alguns deles: fumo, uso de drogas, excesso de comida, abuso do álcool e direção perigosa. Descubra o que o leva a esse comportamento (medo, depressão, ansiedade, estresse ou outra razão) e trace um plano para se livrar dele.

Trace um plano
Tenha claros seus objetivos e trace um plano de ação. Pessoas que se planejam têm 50% mais chances de chegar aonde querem. Pense sobre estratégias para começar a atingir esse plano. Por exemplo: agendar consulta com nutricionista, matricular-se em um curso de idiomas ou fazer uma aula-teste de ginástica.

Seja realista
Estabeleça metas realistas e atingíveis. Propostas radicais tendem a resultar em fracasso e frustração. Você não engordou de uma hora para outra, portanto, não emagrecerá 10 quilos em uma semana. Se tiver que acordar às 5h todos os dias para caminhar é provável que não consiga manter o hábito. Em situações normais, metade das pessoas abandona uma nova rotina de exercícios até seis meses depois de começar. Alguém que deseja parar de fumar faz de três a quatro tentativas antes de conseguir.

Revise seus objetivos
Para que suas metas sejam realizadas, e mantidas de forma consistente, é preciso ter ótimos motivos. Em vez de estabelecer o objetivo de emagrecer 10 quilos, você pode se propor a mudar para hábitos alimentares saudáveis e se exercitar visando a ter qualidade de vida. O emagrecimento será consequência de uma proposta maior, e a probabilidade de vivenciar o efeito sanfona será menor.

Aprenda com as recaídas
Você não é super-herói. Não desanime nem desista se, na primeira tentativa, nada der certo. Na segunda tentativa de dieta, são maiores as chances de resultados positivos do que da primeira, por exemplo. Quanto mais tentativas, maiores as chances de sucesso. Acredite na superação e mantenha o equilíbrio emocional.

Esforce-se
Reconheça os benefícios da mudança e saia da zona de conforto. O resultado da sua meta depende do esforço e da intensidade com que você está buscando o que deseja. Pense e haja de forma realista, centrada e equilibrada. O resultado pode ser mais rápido para uns do que para outros. Tudo vai depender da eficácia do esforço.

Não sofra
Para ter sucesso na sua trajetória, é essencial não sofrer. A mudança tem de ser prazerosa para resultar em sucesso. Se fazer dieta for um suplício, logo virá a frustração e a vontade de descarregar na comida. Você precisa sentir prazer nesse caminho para uma nova fase. Isso inclui estar aberto a ouvir conselhos. Cerca de 75% dos pacientes não colocam em prática recomendações médicas quando o assunto é mudança de hábitos.

sexta-feira, 13 de maio de 2011

Disbiose Intestinal


Como vou ter uma aula sobre o assunto este final de semana, li um artigo hoje a tarde sobre o assunto. Segue algumas observações:

O trato gastrointestinal (TGI) é um dos maiores meios de ligação entre o mundo externo e o ambiente intestinal no homem. A alimentação promove enorme exposição, no momento da digestão e absorção de nutrientes, a antígenos alimentares, aos microorganismos viáveis e aos metabólicos de bactérias, que são apresentados ao sistema imune intestinal.

O intestino humano possui aproximadamente 100 trilhões de bactérias (a chamada microbiota intestinal), dentre as quais mais de 400 espécies diferentes vivem num delicado balanço. O desequilibrio dessa “flora microbiana” é chamado de Disbiose Intestinal.

Situações como alimentação inadequada, stress, envelhecimento, uso indiscriminado de alguns medicamentos, propiciam o quadro de disbiose intestinal. A presença de sinais e sintomas como alterações do ritmo intestinal, flatulência, eructações, acne, fadiga, falta de concentração e depressão sugerem o desequilíbrio da microbiota intestinal.

A alteração na digestibilidade dos alimentos e da permeabilidade intestinal provocada pela disbiose predispõe o organismo a uma série de problemas de saúde. Porque passam a chegar ao sangue, nutrientes mal digeridos e outras substâncias químicas, em proporções impróprias. Isso acarreta um aumento das alergias cutâneas e respiratórias, além de hipersensibilidades alimentares

A disbiose altera o pH sanguíneo, vaginal, da bexiga e de outros locais, predispondo o organismo a quadros de infecção urinária e candidíase vaginal recorrente, herpes labial, cutâneo e vaginal recorrentes, além de outras infecções bacterianas ou viróticas recorrentes.A alteração da flora bacteriana faz com que essas bactérias patológicas reajam com os ácidos biliares formando substâncias carcinogênicas e liberando substâncias tóxicas que estavam neutralizadas

Tratamento?
Fibras; Glutamina; Lactobacilos; Alimentação rica em frutas, verdura, legumes e cereais integrais - procure seu nutricionista!!

abraços a todos

quinta-feira, 5 de maio de 2011

Cientistas transformam gordura “ruim” em “boa”

Uma equipe de cientistas da Universidade Johns Hopkins, nos Estados Unidos, conseguiu transformar a gordura branca de ratos (considerada “ruim”) em gordura marrom, mais eficiente na queima de calorias e na perda de peso. No estudo, publicado no periódico Cell Metabolism, os pesquisadores afirmam que a descoberta pode auxiliar no combate à obesidade.

A gordura marrom, abundante em recém-nascidos, tem como função principal manter o calor corporal, mas, ao mesmo tempo, acaba consumindo uma grande quantidade de calorias. O problema é que, conforme vamos envelhecendo, nossa gordura marrom desaparece rapidamente e acaba sendo substituída pela gordura branca – que, normalmente, se aloja na cintura.

Segundo os pesquisadores, estimular a formação de gordura marrom no organismo adulto poderia, então, ajudar a controlar o peso e a prevenir casos de obesidade e problemas correlacionados, como o diabetes tipo 2. Dentro do laboratório, eles deram os primeiros passos nesse caminho. Ao modificarem a atuação de uma proteína chamada NPY que está ligada ao apetite, eles descobriram que ela é capaz também de modificar a composição da gordura do corpo.

Quando a NPY teve sua ação anulada no cérebro dos ratos, o apetite dos animais rapidamente sofreu um decréscimo. E mesmo quando eram alimentados com comidas altamente gordurosas, eles retinham menos gorduras no corpo do que aqueles ratos em que a NPY não tinha sido alterada. Simultaneamente à perda de apetite, os animais apresentaram ainda uma troca natural da gordura branca pela marrom.

Humanos - Os cientistas esperam agora conseguir os mesmo efeitos em humanos, injetando células-tronco da gordura marrom sob a pele, para que haja uma queima da gordura branca e um estímulo na perda de peso. “Se nós conseguirmos fazer com o corpo humano também faça essa troca de gorduras, ele irá queimar calorias e não estocá-las. Isso pode ser uma arma importante contra a epidemia de obesidade”, diz Sheng Bi, membro da equipe de cientistas do Johns Hopkins.

Matéria Revista Veja - http://veja.abril.com.br/noticia/saude/cientistas-transformam-gordura-%E2%80%9Cruim%E2%80%9D-em-%E2%80%9Cboa%E2%80%9D

sexta-feira, 29 de abril de 2011

Bolo de Cenoura Light

Hummmmm não testei ainda, mas deve ficar saboroso!!

Segue o link do blog onde encontrei a receita

http://tempoparavoce.blogspot.com/2011/04/bolo-de-cenoura-light.html

Bom apetite

segunda-feira, 25 de abril de 2011

Colágeno

NUTRIENTES PARA A PRODUÇÃO DE COLÁGENO:

Esta proteína é essencial para a saúde das cartilagens, as quais precisam estar íntegras a fim de minimizar lesões. Alguns nutrientes são importantes para a síntese e manutenção da integridade do colágeno: aminoácidos (presentes nas carnes, ovos, laticínios), vitamina C (nos cítricos e em hortaliças como tomate e pimentão), cobre (presente no feijão, ervilha, lentilha), manganês (grãos integrais, feijões, nozes), silício (aveia, salsa, nabo, avelã), boro (grãos integrais, frutos do mar). E não se deve esquecer da hidratação, a fim de manter boa flexibilidade e elasticidade articular.


COMBINAÇÕES DE SUCOS AMIGOS DO COLÁGENO

- Uva + couve + castanha do Pará

- Abacaxi+ alfafa + broto de feijão + hortelã


Retirado de texto da colega nutricionista Andrea Neves

domingo, 10 de abril de 2011

Grupos de Reeducação Alimentar


A Clínica do Ser Integral (Ingleses - Florianópolis) se propõe a orientar o processo de emagrecimento de forma gradual e segura, indicando novos hábitos alimentares e de comportamento que possam ser incorporados de maneira definitiva, fazendo você levar uma vida mais saudável e mais feliz.

Nossa proposta de grupos de reeducação alimentar apresenta um trabalho diferenciado, coordenado por nutricionista com a participação de equipe multidisciplinar.

Nosso objetivo é não simplesmente passar um cardápio e sim ajudá-lo a executar os novos hábitos, através da troca de experiências, sentimentos, frustrações, comprometimento e persistência de uma forma agradável e prática.

Os encontros serão semanais, com duração aproximada de 1 hora, onde vamos aprender formas de agir frente a comida, frente a vontade de comer ou mesmo a fome. Faremos verificação individual de peso para que você possa acompanhar sua evolução. No final de cada encontro traçamos planos para a semana seguinte, e assim, o grupo se ajuda mutuamente e seguir em frente.

O que o grupo oferece:
- valor acessível
- participação multidisciplinar
- coordenado por nutricionista
- máximo 12 pessoas por grupo
- materiais
- Avaliação de peso, IMC, circunferência da cintura no início e fim
- acompanhamento de peso semanal

Inscrições - Abril
Início - Maio
Informações:
nutricao@carlamarques.com.br
048 3364 2033

terça-feira, 5 de abril de 2011

PHOLIANEGRA

O extrato com composto de ervas brasileiros chamado de Pholianegra, já conhecido por muitas pessoas como redutor de peso, foi testado e aprovado por uma equipe do Departamento de Patologia da Faculdade de Medicina Veterinária da Universidade de São Paulo (USP), com pesquisa dirigida pela equipe coordenada pela professora Maria Martha Bernardi. O resultado é que o extrato concentrado e padronizado pode reduzir o sobrepeso em até 10%.

O Estudo de Eficácia e Segurança do Insumo Fitoterápico PholiaNegra concluiu ainda que a Pholianegra é eficaz na redução de peso em 30 dias; que o índice Delta de Perda de Pesos (DPP) in vivo (experiência feita em animais) foi de 10%; e que não houve sinal de toxicidade e efeito colateral durante o tratamento. "O estudo teve como objetivo principal verificar se as ervas emagrecem realmente e se apresentam efeito colateral e toxicidade", disse a professora.

Apesar de ter recebido certificação científica e poder ser utilizado com segurança e eficácia como auxiliar natural nas dietas de emagrecimento, trata-se de um insumo e não de um produto acabado. Por isso, de acordo com o material de divulgação da pesquisa, não é um medicamento registrado na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e só pode ser ingerido por meio de formulação em farmácia de manipulação a partir de receituário médico.

Outras conclusões do estudo sobre o Pholianegra divulgados pela professora são: retarda o esvaziamento gástrico; acelera a plenitude gástrica (sensação de saciedade); promove manutenção do peso eliminado por até 12 meses; altera o metabolismo de ácido graxos e de glicose, diminuindo a formação de gordura visceral, e reduz o quociente respiratório, indicando aumento da oxidação de gordura.

A pesquisa foi conduzida por nove meses em ratos de laboratório. De acordo com o material divulgado sobre os estudos, além de efeito emagrecedor, a literatura mostra que o extrato possui várias atividades biológicas, como efeitos antioxidantes e anti-inflamatórios. Para confirmar tais efeitos, a equipe de pesquisadores realizará em breve uma nova série de testes.

http://saude.terra.com.br/noticias/0,,OI5047764-EI16559,00-USP+comprova+efeito+emagrecedor+de+ervas+brasileiras.html

sexta-feira, 25 de março de 2011

Gordura trans - substituto saudável?!?


Gordura interesterificada:


Com os alertas sobre os riscos de consumo da gordura trans, a indústria de alimentos criou um novo método de tornar óleos vegetais sólidos, a interesterificação. Esse processo está surgindo como uma alternativa “saudável”


Gorduras interestificadas são obtidas a partir de mistura de óleo vegetal totalmente hidrogenado (gorduras trans) e óleos vegetais líquidos. O processo de interesterificação consiste em misturar estes óleos em proporções adequadas, submetê-los ao processo de interesterificação, onde sob ação de um catalisador e condições específicas de processamento, ocorre a reação para produção das gorduras com a consistência para a aplicação a que destina.
Vários produtos utilizam essa gordura, as margarinas , por exemplo, com zero trans têm gordura interesterificada. Foi uma forma de os fabricantes substituírem a trans sem fazer com que os produtos ficassem menos cremosos


Por ainda ser pouco conhecida, não existem estudos suficientes sobre seu impacto no organismo

Mas vamos observar alguns dados:


Assim como acontece com as gorduras trans, este processo também altera a estrutura natural dos triglicerídeos, podendo afetar o metabolismo lipoprotéico e o processo aterogênico.
SUNDRAM, Kalyana et. al., hipotetizaram que a modificação química dos óleos vegetais, tanto a gordura parcialmente hidrogenada quanto a interesterificada, não devem ter o mesmo impacto metabólico que uma gordura saturada natural, rica em ácidos graxos palmítico (16:0) e oléico (18:1).
Estes autores realizaram um estudo, onde realizou-se uma comparação entre os ácidos graxos trans e as gorduras interesterificadas com uma gordura saturada não modificada, quanto ao impacto nos lipídeos sangüíneos e na glicose plasmática.


Ambas as gorduras modificadas (trans e interesterificada) alteraram adversamente o metabolismo das lipoproteínas plasmáticas e da glicose sanguínea, em humanos. Ressalta-se que a glicemia em jejum foi significativamente maior e os valores de insulina foram significativamente menores após a dieta com gordura interesterificada, quando comparada com o consumo da gordura trans e do óleo de palma.


Também vale lembrar que na produção desse tipo de gordura devem ser utilizados catalisadores. Em alguns casos, utilizam-se o metóxido de sódio ou o etóxido de sódio, que são solventes altamente tóxicos. Podem ser utilizados o sódio metálico ou a liga sódio-potássio, que também são perigosos. E os resíduos podem não ser completamente retirados do produto final. Assim os subprodutos do processo de catálise serão ingeridos juntamente com o alimento preparado com a gordura interesterificada


Outro método mais seguro seria a utilização de enzimas, mas esse é mais dispendioso e, por isso, tende a não ser muito difundido.


Estes resultados demonstram que uma suposta “alternativa saudável” às gorduras trans pode apresentar tantos ou até mais malefícios à saúde.

Mais investigações são necessárias antes da disseminação do processo de interesterificação das gorduras como substituição da gordura vegetal parcialmente hidrogenada.


Abraços a todos

quarta-feira, 23 de março de 2011

Estudo relaciona dieta de 'junk food' a Q.I. baixo

Crianças com dieta rica em comida processada podem apresentar Q.I. ligeiramente mais baixo, de acordo com um amplo estudo divulgado no Journal of Epidemiology and Community Health da British Medical Association (BMA) e que já está sendo aclamado como o mais abrangente do tipo. A conclusão da pesquisa é o resultado do acompanhamento de 14.000 pessoas nascidas na Inglaterra entre 1991 e 1992, que tiveram a saúde e o bem-estar foram monitorados aos três, quatro, sete e oito anos e meio.

Os pais das crianças foram orientados a preencher questionários que perguntavam, entre outras coisas, o que seus filhos comiam e bebiam. Três padrões de dieta foram então identificados: o primeiro, rico em gorduras processadas e açúcar; o segundo, uma dieta "tradicional" com base em carne e vegetais; e o terceiro, considerado "saudável", com muita salada, frutas e vegetais, além de macarrão e arroz.

Quando as crianças chegaram aos oito anos e meio, seu Q.I. (sigla para quociente de inteligência) foi medido através de uma ferramenta padrão conhecida como Escala de Inteligência de Wechsler. Entre as 4.000 crianças cujos dados estão completos, é possível perceber uma diferença significativa de Q.I. daquelas que consumiam comida processada em relação às submetidas a uma dieta saudável nos primeiros anos da infância.

Ao todo, 20% das crianças participantes consumiam grande quantidade de comida processada, e o Q.I. médio aferido entre elas é 101. Já entre os 20% alimentados de maneira saudável, o Q.I. médio é 106. "É uma diferença muito pequena, não é uma diferença vasta", admite Pauline Emmett, uma das autoras do estudo, que pertence à Escola de Medicina Social e Comunitária da Universidade de Bristol. "No entanto, ela as torna menos capazes de lidar com a educação, menos capazes de lidar com algumas coisas na vida", acrescenta.

A associação entre nível de Q.I. e nutrição é um ponto polêmico e exaustivamente debatido, uma vez que pode ser influenciada por inúmeros fatores como o contexto social e econômico de cada indivíduo. É possível argumentar, por exemplo, que uma família de classe média tem mais interesse (ou mais condições) de servir uma refeição saudável aos filhos, além de dar mais estímulo à criança para que consuma alimentos saudáveis, em comparação com famílias mais pobres. Emmett explica que sua equipe dedicou especial cuidado para neutralizar este tipo de fator na aferição dos dados. "Temos todo o controle do nível educacional da mãe, da classe social da mãe, sua idade, se vive em casa própria, o que aconteceu em sua vida, qualquer coisa errada, o ambiente da casa, se há livros ou se assiste muita televisão, coisas assim", diz a pesquisadora.

Além disso, afirma, o tamanho do estudo não tem precedentes na área. "É uma amostra gigantesca, é muito maior do que qualquer coisa que alguém já tenha feito", acrescentou, em entrevista à AFP. Emmett enfatiza, entretanto, que ainda são necessários mais trabalhos para descobrir se este impacto no Q.I. das crianças continua à medida que envelhecem.

Sobre por que uma dieta rica em 'junk food' teria esta influência sobre a inteligência, a pesquisadora sugere que a falta de vitaminas e minerais vitais para o desenvolvimento do cérebro, adquiridos em pouca quantidade em alimentos processados, em um momento fundamental da infância, pode ser responsável pela diferença. "Uma dieta de 'junk food' não proporciona um bom desenvolvimento do cérebro", conclui.

Revista ISTOÉ Independente - 08.Fev.11

sexta-feira, 18 de março de 2011

Dieta do Corredor

Neste domingo é dia de Meia Maratona Internacional em Florianópolis!!

Segue resumo da matéria apresentada pela Revista Contra-Relógio..abraços!


Para a especialista em nutrição esportiva, Suzana Bonumá, um descuido na alimentação pode incapacitar o corpo de se recuperar completamente, tornando-o vulnerável a lesões, infecções e deficiências nutricionais. Isto porque à medida que a intensidade ou volume dos treinos aumenta, o funcionamento do sistema imunológico se altera por algumas horas, aumentando o risco de problemas, principalmente os respiratórios, tanto no nariz quanto na garganta e no pulmão.

As falhas nutricionais que mais aumentam o risco de infecções são:

BAIXO CONSUMO CALÓRICO: restringir a dieta priva o corpo da matéria prima para o sistema imune. Por isto, se você precisa perder peso, vá devagar nessa redução, para que a perda de gordura não comprometa seu peso magro e o seu sistema de defesa.

BAIXA INGESTÃO DE CARBOIDRATOS: os carboidratos tem forte ligação com o sistema de defesa e com a produção de glutamina. A glutamina estimula a síntese de glutationa (um antioxidante) e do glicogênio (nossa forma de estoque de carboidratos no músculo e no fígado). Além disso, a glutamina é fonte de energia para as células do intestino, que precisam estar saudáveis para que as vitaminas e minerais fundamentais para o bom desempenho atlético sejam absorvidas, e também para as células do sistema imune. O problema é que há uma queda nos níveis sanguíneos de glutamina em situações de estresse, no pós operatório, no diabetes não controlado e também após exercícios intensos e prolongados.

BAIXA INGESTÃO DE PROTEÍNA: carboidrato é o nutriente mais importante para o corredor, mas se este esquecer das proteínas o risco de infecção aumenta, já que esta é essencial para a produção dos anticorpos. Sedentários necessitam de 0,8 g de proteína por quilo de peso diariamente, já corredores precisam de mais que o dobro. Se você faz também musculação, a necessidade pode chegar até 1,8 g de proteína/kg de peso.

BAIXO CONSUMO DE ANTIOXIDANTES: vitaminas A, E, C, zinco, selênio, manganês atuam direta e indiretamente como antioxidantes, diminuindo a ação dos radicais livres. Porém os mesmos devem vir principalmente da alimentação. As frutas, verduras, castanhas e cereais integrais fornecem todos estes nutrientes e também fitoquímicos com efeitos protetores adicionais.

ALGUNS ALIMENTOS ESPECÍFICOS SERIAM INTERESSANTES NA DIETA. De acordo com o nutricionista Henrique Freire Soares, o consumo adequado da vitamina B6 (presente na banana, no ovo, no arroz integral, na aveia, na geléia real, no quinoa real, nos peixes, no peito de frango, na cerveja sem álcool, no feijão de soja e no extrato solúvel de soja) é fundamental nos processos metabólicos que envolvem aminoácidos e proteínas e, portanto, reparo da musculatura, prevenção de lesões e fabricação de anticorpos e substâncias protetoras. A vitamina B6 é ainda fundamental para que as células do sistema imune sejam capazes de utilizar adequadamente os aminoácidos de cadeia ramificada e a glutamina.

Para a nutricionista Suzana Bonumá, o ideal é começar um acompanhamento nutricional cerca de 3 meses antes da prova longa escolhida. Durante o período de acompanhamento alguns objetivos devem ser traçados, considerando-se o padrão de composição corporal ideal para a prova e para os objetivos do atleta, assim como são feitos ajustes de suplementos e hidratação.

Entre 1 a 3 dias antes da maratona deve-se aumentar a ingestão de carboidratos para ampliar os estoques de energia no músculo. Lembre-se de que o aumento de carboidratos deve ser acompanhado da redução de gorduras e proteínas para que o peso não aumente. Isto porque o consumo de carboidratos por si só já pode aumentar o peso: cada grama de carboidratos se estoca no músculo com 3 a 4 gramas de água! Recomenda-se até 10 g de carboidratos por kg de peso

ANTES DA PROVA. Um dia antes faça o jantar com massa e uma fonte de proteína com pouca gordura (como frango ou peixe grelhado). Frutas ou suco de sobremesa. No dia da prova, consuma apenas alimentos que fazem parte do seu hábito. Não invente moda nem tome suplementos de última hora. Se a largada for demorar e já tiverem se passado 3 horas do café da manhã ou almoço programe um reforço energético para consumir 20 minutos antes do início da prova, como uma porção de pão com geléia, bolacha salgada, fruta ou carboidrato em gel. Mas teste tudo antes!

DURANTE A PROVA. Grande parte dos maratonistas não profissionais queima cerca de 2.400 kcal (mulheres) e 2.800 kcal (homens) durante a prova. Este gasto não precisa ser recuperado durante a maratona, mas uma reposição mínima (30 a 60 g) de carboidratos a cada 30 a 60 minutos mantém o corredor em condições ideais de completar a prova em sua melhor forma.

APÓS A PROVA. Depois da maratona faça uma refeição completa que inclua carboidrato (pão, arroz, batata doce, massas, purês, cereal), proteína (laticínios, carnes ou ovos), vitaminas e minerais (frutas e vegetais). Quanto antes você se alimentar, menores as chances de uma queda de resistência e dor muscular.

domingo, 6 de março de 2011

Grupos de Reeducação Alimentar


Em breve na Clínica do Ser Integral - http://www.clinica.carlamarques.com.br - grupo de incentivo ao emagrecimento e/ou manutenção do peso, acompanhado por nutricionista, psicóloga, fisioterapeuta, naturóloga e fonoaudióloga!


Já desenvolvi esse trabalho em anos anteriores, tendo ótimos resultados, agora estou reformulando a proposta, pois terei a importante participação de um grupo multidisciplinar o que irá tornar o trabalho ainda mais efetivo!

Aguardem logo, logo novidades!

Abraços

terça-feira, 1 de março de 2011

Sucos de Caixinha- saudáveis?


Vejam matéria sobre sucos de caixinha

http://www.idec.org.br/rev_idec_texto2.asp?pagina=3&ordem=3&id=1151

domingo, 27 de fevereiro de 2011

O reinado dos remédios emagrecedores está por um fio.

Leia partes da matéria publicada pela Revista Veja na semana passada:

Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) quer banir a comercialização de todas as drogas usadas para emagrecer que atuam no sistema nervoso central: a sibutramina e os derivados de anfetamina (femproporex, dietilpropiona e mazindol). A única droga para o tratamento da obesidade cuja venda deverá continuar liberada é o orlistate (Xenical), que atua diretamente no intestino, reduzindo em cerca de 30% a absorção de gordura.

Desde o ano passado, a Anvisa vem impondo novas regras que endureceram os critérios de venda da sibutramina. Estudos indicam que o consumo dessa substância aumenta o risco de problemas cardíacos

Estudo - Os benefícios dos remédios não superam os riscos. Esse é o principal argumento que a Anvisa pretende usar na próxima semana, durante audiência pública, para convencer a classe médica de que é melhor proibir de vez o uso de medicamentos usados para emagrecer.

"Quase nenhum outro país tem sibutramina. As anfetaminas também estão diminuindo. E não há notícia de que isso piorou ou atrapalhou o tratamento da obesidade." Em 2009, foram vendidas no país 67.500 toneladas de sibutramina.

Abraços a todos!






terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

i9 Academia

Segue ai o endereço do Blog da i9 Academia - com dicas e informações sobre a academia - corre lá

http://i9academia.wordpress.com/

sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

Aniversário Clínica do Ser Integral



A Clínica do Ser Integral - Ingleses, estará de aniversário no próximo dia 26/02!

Me orgulho muito de trabalhar em uma clínica com profissionais tão comprometidas com o bem estar do paciente!

Nos estamos de aniversário mas quem ganha é você! Até final de março desconto especial em todos os serviços a clínica, além de avaliações gratuitas!

Um abração a todas colegas!

Acessem o site da Clínica
http://www.clinica.carlamarques.com.br/

quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

Melhora do desempenho cardio-respiratório é útil para prevenção/tratamento da Síndrome Metabólica em idosos?

Hoje um post mais técnico - útil para quem trabalha com atividade física e nutrição...segue ai! Abraços

Melhora do desempenho cardio-respiratório é útil para prevenção/tratamento da Síndrome Metabólica em idosos?
Qua, 09 de Fevereiro de 2011 08:29

Estudos transversais tem mostrado uma associação inversa entre desempenho cardio-respiratório e a ocorrência de Síndrome Metabólica (SMet) em homens e mulheres de meia idade e idosos.
Em colunas anteriores apresentamos artigos que avaliaram os efeitos do exercício físico em indivíduos com Diabetes tipo 1 e 2. Agora estamos trazendo dados sobre os efeitos do exercício físico em pessoas idosas (57 a 78 anos) e que foram consideradas como apresentando SMet pelo critério do NCEP (National Cholesterol Education Program).
O trabalho foi publicado no periódico Diabetes Care em julho de 2010, sendo parte de um estudo maior de coorte que vem sendo realizado na Finlandia, Kuopio, denominado DR’s EXTRA (The dose response to exercise training study) e tendo como primeiro autor Hassinen M.
Até a ocorrência desta publicação, existiam alguns dados na literatura sobre a prevenção de SMet em pessoas de média idade e nenhum avaliando a possibilidade de resolução da SMet com aumento da atividade física. Nenhum estudo havia sido conduzido em pessoas idosas. O trabalho aqui descrito foi denominado Desempenho Cardiorespiratório e Síndrome Metabólica em Homens e Mulheres Idosos: estudo tipo dose resposta para treinamento em exercícios físicos.
O objetivo foi avaliar em 1226 pessoas com 57 a 78 anos o efeito do exercício físico sobre o desenvolvimento e resolução da SMet, no período de 2 anos. A captação máxima de Oxigênio Vo (2max) foi realizada diretamente por análise de gases respiratórios durante um teste de capacidade máxima.
Foi mostrado que um aumento da Vo (2max) de um desvio padrão acima do basal, foi associado com diminuição de 44% (95% CI 24-58) do risco de desenvolver a SMet. Um aumento de 1 desvio padrão na Vo (2max) aumentou a chance para resolver a MetS em 1.8 (1.2-2.8) vezes. Os autores concluíram que níveis elevados de desempenho cardiorespiratório são protetores para a ocorrência de SMet e podem ser um tratamento resolutivo em indivíduos idosos com SMet.
Considerando os dados apresentados, entende-se que campanhas para facilitar a participação de idosos em atividades físicas provavelmente seriam úteis para diminuir o número de indivíduos idosos que por diminuírem atividades físicas quando chegam nesta faixa etária apresentam aumento das chances de doença cardiovascular e mortalidade por SMet. Além disso, estudos brasileiros projetados para avaliar esta possibilidade certamente seriam muito bem-vindos, pois poderiam ter aplicação prática imediata

Profa Dra Helena Schmid
Endocrinologista e Presidente do Departamento de Exercícios Físicos da SBD


FONTE:
http://www.diabetes.org.br/colunistas-da-sbd/atividades-fisicas/1674-melhora-do-desempenho-cardio-respiratorio-e-util-para-prevencaotratamento-da-sindrome-metabolica-em-idosos

quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

Alimentação no Verão

Olá
Recentemente fui convidada a escrever para o site Idmed sobre Alimentação no Verão

confere lá!
abraços

http://idmed.uol.com.br/viva-melhor/verao-veja-como-se-alimentar-bem-durante-essa-estacao.html

terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

Whey Protein

Dica rapidinha:

Calcule o % de proteína do seu Whey
Divida a quantidade de proteínas por dose pela quantidade em gramas da dose também.
Por exemplo: Whey 24g de proteínas a cada 32g do produto. 24/32 = 0,75
Seu whey é 75% proteína.
Simples mas importante. Não olhe só a quantidade de proteína por dose mas a concentração
Veja: Uma whey pode ter 50g de proteína na dose, mas esta dose é de 100g de produto.......... portanto esta Whey é menos concentrada em proteínas que o exemplo anterior, ou seja, 50% por dose.

Abraços

quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

Palestra Sobre Saúde

Agradeço a Santa Luiza turismo pelo convite para falar sobre alimentação + atividade física = mais saúde!

http://www.santaluiza.tur.br/noticias.php?id_noticia=14

Dia de Pizza!



Ontem a noite foi dia de Pizzaria cm as amigas!

Seguem 12 dicas para a dieta não sair (muito) da linha nessa situação!


PRIMEIRA: jamaissssssssss vá a pizzaria cm fome!
SEGUNDA: evite bebidas com valor calórico e gasosas (refrigerantes)- nos fazem comer mais - sabe aquela história de "fazer digestão"?
TERCEIRA: evite rodízios prefira a la carte.
QUARTA: nada de lambuzar a pizza com maionese!!
QUINTA: sempre use a saladinha antes e durante a refeição. Prefira as folhas e evite as azeitonas + o tomate seco.
SEXTA: Mastigue lentamente
SÉTIMA: Curta o momento cm os amigos e não só o momento de comer!
OITAVA: Evite as bordas com queijos gordurosos
NONA: Escolha os sabores que mais gosta - por que comer mais 1 fatia de 4 queijos, se nem é seu sabor preferido? Lá se vão mais 300 calorias extras.
DÉCIMA: evite coberturas calóricas: 4 queijos, baccon, calabreza, coração...
DÉCIMA PRIMEIRA: voce adora pizza doce? então reserve "vaga" para elas num rodízio. Não deixe a cota de fatias já ser ultrapassada nas salgadas.
DÉCIMA SEGUNDA: um chá de boldo após a refeição, não vai cortar nenhuma caloria ingerida, mas vai ser bom para seu fígado

Abraços

sábado, 22 de janeiro de 2011

PÃO FÁCIL

Com tanta chuva caindo em Florianópolis, a dedicação hoje foi em buscar receitas novas.
Acabei encontrando uma receitinha bem fácil da colega nutricionista Vanessa de Nadai.
Espero que gostem, segue ai:

PÃOZINHO INTEGRAL

2 xic de leite de arroz ou de soja
4 col de sopa de açúcar mascavo
1 xic de óleo
1 ovo
20 g de fermento
2 col de chá de sal
Farinha de trigo integral até dar o ponto (500 g)
Gergelim para colocar por cima

Aquecer o leite (morno), depois colocar o óleo, o açúcar, o ovo (mexido), o sal e por ultimo a farinha até dar o ponto.Fazer bolinhas, colocar na forma untada e deixar crescer.
Forno pré aquecido 15 min a 200º c

Rende 24 pãezinhos - 100% integral ou 34 - 50% integral)
Total 4258 kcal (126 kcal cada)

quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

PESQUISA


Olá

Estou realizando uma pesquisa sobre atendimento de nutrição.

Ficaria muito feliz com sua contribuição em responder as perguntas abaixo:


Já consultou com nutricionista?


Para quem já consultou:


Sobre o atendimento o que mais agradou? E o que menos te agradou?

Quais foram sua principais dificuldades em seguir o tratamento proposto?


Para quem nunca consultou:


Como você acha que é uma consulta nutricional?


Podem enviar pelo email: danimelere@yahoo.com.br ou como comentário aqui no blog


Agradeço a todos!!

Abraços

terça-feira, 18 de janeiro de 2011

Brasileiros se alimentam mal em casa!


O brasileiro está comendo mal em casa.
As frutas e verduras, que deveriam corresponder a uma proporção entre 9% e 12% das calorias diárias ingeridas, representam 2,8%. Já os alimentos essencialmente calóricos (óleos e gorduras vegetais, gordura animal, açúcar de mesa e refrigerantes), atingem 28% da caloria consumida.

Os dados fazem parte do levantamento Avaliação Nutricional da Disponibilidade Domiciliar de alimentos no Brasil, feito com base na Pesquisa de Orçamentos Familiares (POF) 2008-2009.

Para chegar a essas informações, os pesquisadores avaliaram apenas os alimentos disponíveis nas residências. E ressalvam que, comparando-se com a POF anterior, de 2002/2003, a despesa com alimentação fora de casa saltou de 24,1% para 31,1% - crescimento de sete pontos porcentuais.

Segundo o trabalho, o brasileiro diminuiu drasticamente a compra de itens básicos, como arroz, feijão e açúcar, m sua alimentação.

A aquisição do feijão para consumo em casa caiu de 14,7 quilos anuais para 7,4 quilos (redução de 49%). Já o açúcar caiu de 15,8 quilos para 3,3 quilos (menos 79%). O refrigerante de guaraná subiu de 1,3 quilos anuais para 6 quilos.

Nesse mesmo período subiu o consumo de alimentos preparados e misturas industriais (o que não era computado na Endef). Hoje a média nacional está em 3,5 quilos anuais, alcançando 8,3 quilos entre os 20% mais ricos. Também aumentaram a aquisição de refrigerante de cola (39,3%), água mineral (27,5%) e cerveja (23,2%).

No carrinho do supermercado, bebidas e infusões são os itens mais adquiridos - a média domiciliar per capita é de 50,7 quilos,

Leite e derivados, frutas, verduras e legumes, gordura animal, bebidas alcoólicas e refeições prontas são mais consumidos pelas classes com maior rendimento.

O consumo de alimentos preparados é 514% maior entre os 20% mais ricos em comparação com os 20% mais pobres (8,4 quilos contra 1,4 quilo).

O estudo do IBGE também constatou que a região Sul do País tem a despensa mais farta. A aquisição anual per capita de carnes (35,7 quilos), laticínios (67,4 quilos), bebidas e infusões (64,1 quilos), hortaliças (38,6 quilos), frutas (36,5 quilos) e alimentos preparados e misturas industriais (4,8 quilos) está acima das respectivas médias nacionais e de outras regiões.

Para os pesquisadores do IBGE, esta diferença pode ser explicada pelo hábito cultural, com aquisições mais frequentes e localização do domicílio próxima da área de trabalho - as pessoas vão em casa para almoçar.

veja a matéria completa em:
http://www.estadao.com.br/noticias/vidae,brasileiros-estao-se-alimentando-pior-em-casa-mostra-estudo-do-ibge,654372,0.htm

até mais

sábado, 15 de janeiro de 2011

Receita de Salmão - fácill

Salmão assado com azeite e ervas.
4 postas de salmão
Manjericão, tomilho, orégano e sal a gosto
1 ponta de pimenta vermelha picadinha
2 col. (sobremesa) de azeite extravirgem
Suco de ½ limão
Como fazer
Coloque o peixe numa travessa refratária e tempere com o sal, a pimenta e as ervas. Acrescente o azeite e algumas gotas de limão. Aguarde 15 minutos para o peixe pegar o tempero. Leve ao forno e asse por 15 minutos em potência alta (200 C). Abra o forno, regue com o suco de limão. Aguarde dois minutos e retire do forno. Sirva com batata assada.
Rende: 4 porções
Calorias por porção: 130

Fonte: Blog da dieta

quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

Pesquisador sugere truques psicológicos para cumprir dieta de ano novo



Professor de universidade britânica lista cinco dicas para evitar as tentações e cumprir as resoluções


Segundo pesquisador, apenas 10% conseguem cumprir resoluções
Com a passagem do ano, milhões de pessoas fizeram suas resoluções de ano novo. Mas pesquisas mostram que somente cerca de 10% cumprem suas promessas.
O psicólogo Richard Wiseman, da Universidade de Hertfordshire, estudou as diferenças entre os que abandonam suas resoluções e os que as cumprem para preparar uma lista com cinco dicas básicas para cumprir com as decisões relacionadas à dieta.

Entre as estratégias usadas para ajudar no cumprimento das resoluções, o pesquisador cita a quebra da decisão em vários pequenos passos e o estabelecimento de autorrecompensas após atingir cada objetivo parcial.

Perder peso e comer de maneira mais saudável estão entre as resoluções de ano novo mais populares. Veja a seguir as dicas de Wiseman para ajudar no cumprimento dessas decisões:

1- Não deixe as comidas "tentadoras" à vista
Usar potes opacos é boa ideia para manter guloseimas à distância
"A maioria das pessoas tenta perder peso em algum momento em suas vidas, mas acaba cedendo à tentação", afirma Wiseman.

2 - Use recipientes menores e mais estreitos para bebida
Copos mais finos dão a impressão de carregar mais líquido

3 - Faça pequenas mudanças na rotina para queimar as calorias
Trocar elevador por escadas pode ajudar a queimar calorias
Com isso, pequenas ações somadas ajudam no esforço de perder peso sem a necessidade de grandes resoluções


4 - Sirva refeições em pratos menores
Pratos menores dão a impressão de estarem mais cheios de comida
Segundo ele, pesquisas americanas mostram que uma mesma porção de comida parece muito maior quando servida em um prato menor.

5 - Faça um diário para acompanhar sua evolução
Manter diário ajuda a mostrar quantidades consumidas
"Honestidade é a melhor política", afirma o pesquisador britânico.
"A maioria das pessoas subestima a quantidade de comida que elas comem em um dia", observa.
"Anotar todas as refeições e lanchinhos que você faz vai ajudá-lo a perceber o quanto consome", afirma. .

FONTE: ESTADÃO

quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

Busque a orientação adequada para você

PROCURE UM NUTRICIONISTA

http://g1.globo.com/videos/jornal-hoje/v/sementes-ou-racao-humana-em-excesso-podem-prejudicar-a-saude/1329244/#/Culinária/page/2